Oradores

Módulo 1 - Repensar a agricultura: solo, ideias e ações

06 novembro 2021

 

Oradores

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

Speakers

Leonardo Collier - Food4Sustainability CoLAB

O solo e a Europa
Desafios do Pacto Ecológico Europeu

O solo desempenha um papel crucial na fruição da agricultura.


Para conhecer e atuar na preservação dos solos e assegurar uma produção alimentar segurae saudável, esta sessão enquadra a evolução dos solos na Europa nos próximos 10 anos. Nestesentido, os principais desafios e as oportunidades que surgem ao nível das novas políticas daPolítica Agrícola Comum são abordados. Esta iniciativa reflete uma estratégia integrada querealça o papel fundamental do vasto ecossistema que começa sob o que pisamos, osalimentos que produzimos, a rentabilidade agrícola e o bem-estar humano.


Deste modo, os planos desenhados pela UE são apresentados, de modo a sensibilizar apopulação para a importância do tema e realçar a nova perspetiva e oportunidades nas novaspolíticas, nomeadamente do Pacto Ecológico Europeu e da Estratégia do Prado ao Prato.


A sessão é liderada pelo Prof. Leonardo Collier, Engº Agrónomo especialista em produção noSolo na Food4Sustainability.

2

Daniela Santos - Escola Superior Agrária de Coimbra

O que é um solo?
A perspetiva abiótica

Daniela Valente Simões dos Santos é Doutorada em Engenharia Agronómica na especialidade de Modelação de Transferências Hídricas e Movimento de Solutos no Solo, Mestre em Engenharia de Rega e dos Recursos Agrícolas e Licenciada em Engenharia Agronómica naespecialidade de Equipamentos Agrícolas e Recursos Hídricos pelo Instituto Superior deAgronomia da Universidade Técnica de Lisboa.

 

Atualmente é Professora Adjunta eInvestigadora na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra, onde inicioufunções em 1998 e leciona unidades curriculares das áreas científicas Solo e Fertilidade,Ambiente e Agricultura Sustentável. É afiliada do Centro de Estudos de Recursos Naturais,Ambiente e Sociedade, Grupo de Apoio à Agricultura Urbana, Sociedade Portuguesa de Ciênciado Solo, Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal, International Comission of Agricultural and Biosystems Engineering e revisora da revista Environmental Science and Pollution Research.

 

Na investigação tem realizado trabalhos e feito parte de projetos nacionais eeuropeus no âmbito dos sistemas de Agricultura Sustentável, bem como na avaliação dasustentabilidade de sistemas agrícolas.

3

Marie Bartz - Centro de Agricultura Regenerativa e Biológica - CARE-BIO

O que é um solo?

A perspetiva biótica

Dra. Bartz é filha de agricultor e bióloga investigadora de profissão. Possui experiência embiologia do solo e manejo do solo no Brasil, Moçambique e Portugal, com ênfase emmacrofauna do solo e Agricultura Conservacionista.

 

Atua principalmente nos temas: ecologia,biologia e taxonomia de minhocas em agroecossistemas e áreas de vegetação nativa, fazendoa interação entre os temas ecologia e taxonomia, assim como o público académico/científico eos agricultores.

4

Diogo Pinho - Food4Sustainability CoLAB

O que é um solo?

A perspetiva biótica

Nos últimos 10 anos, o Diogo Pinho trabalhou com solo de agricultura e floresta, com particular ênfase nas comunidades microbianas e a sua interação complexa e dinâmica com as plantas.

 

Em 2015 iniciou o Doutoramento em Microbiologia na Universidade de Aveiro, tendo trabalhado com a Associação dos Produtores Florestais de Coruche e desempenhado também funções de investigador no Biocant Park. Em 2016, juntou-se à equipa da Forest Research para estudar a influência das propriedades do solo e as comunidades microbianas na saúde e resiliência dos carvalhos. Em 2019, iniciou funções como gestor dos laboratórios da BiomeMakers.

 

Ao longo destes anos, participou em 8 projetos de investigação, publicou 15 artigos científicos e apresentou mais de 30 comunicações orais e em poster, a maioria delas relacionadas com o microbioma dos solos e das plantas. Atualmente, o Diogo é membro da equipa do Food4Sustainability CoLab, onde trabalha como especialista de solo com foco na componente biótica e na promoção de práticas agrícolas regenerativas da vida do solo.

5

Pedro Tereso - Agrosustentável

As práticas agrícolas no solo
A perspetiva regenerativa

Pedro Tereso é formado em Ciências Agrárias desde 1998 pela Escola Superior Agrária deCastelo Branco e tem Pós-graduação em Viticultura em 2009 pela Universidade de Évora. Começou em 1998, o seu percurso profissional na área da Produção e Proteção Integrada em culturas como o Olival e a Vinha, fazendo parte do Corpo Técnico da Appizêzere, uma associação de Produção Integrada.


Em 2001 inicia-se como Gestor Vitícola na Esporão S.A onde esteve até 2012, no acompanhamento técnico de Vinhas e Olivais da empresa. Durante este período, visitou regiões vitícolas na Austrália (Barossa Valley e Yarra Valley) e em Espanha (Ribera del Duero,Rioja) e conta com inúmeras formações nas áreas da Viticultura Biológica, Sustentabilidade,Gestão Fitossanitária, Fertilização e Gestão de Rega.


Atualmente é empreender do Projeto AGROSUSTENTÁVEL - Agricultura de Precisão e Sustentabilidade.

Casos de Estudo

Assentes nos princípios da Agricultura Regenerativa, Real Idanha preserva e valoriza o Olival Tradicional de Sequeiro da Beira Baixa, enquanto importante Património Agrícola, Cultural e Paisagístico, criando um virtuoso e singular Azeite Virgem Extra Bio. Para além disso, a Real Idanha está enraizada na história da região, ao trabalhar olivais centenários de três variedades de azeitona da Beira Baixa: Galega, Bical e Cordovil.


Tiago Lourenço é um produtor autodidata de azeite biológico. Co-proprietário da empresa Real Idanha, gere 195 ha de terras na Biorregião de Idanha-a-Nova (Portugal). A regeneração dos olivais tradicionais como um importante património agrícola é o foco principal deste projeto, em que a gestão holística da exploração trabalha o solo, introduz pastoreio e melhora a gestão de resíduos.

2

Torres Vedras

Quinta do Pinto

Certificados como Produção Integrada, a Quinta do Pinto tem o maior respeito pela terra e pela natureza. Resulta da união das práticas de viticultura sustentável e de precisão, com cerca de 63 ha de vinha e uma área equivalente em repouso para expansão.

 

Nesta exploração,observa-se uma intervenção mínima que resulta na captação máxima do potencial das uvas criadas neste território. Aqui, analisa-se e atua-se de forma diferenciada em cada parcela, permitindo assim uma redução de recursos gastos para o mesmo número de intervenções a realizar. Também ao longo dos últimos anos, através de campos de ensaio foram otimizados ensaios de desfolha, aprimoradas as técnicas de poda, sistemas de monda, formas de fertilização orgânica, enrelvamentos, seleção de clones e porta-enxertos mais resistentes às alterações climáticas.

Estas operações foram aprimoradas com o intuito de potenciar a qualidade das uvas, sempre com uma postura de minimizar a pegada ecológica. Na Quinta do Pinto, a viticultura é 100% livre de herbicida, a produção de uvas ocorre sem rega artificial, há uma redução muito significativa da quantidade de pesticidas utilizados, com fertilização 100% orgânica, e implementação de uma “Vinha Viva”, onde existe um respeito máximo pelo ecossistema.

3

Santarém

MaisSolo

MaisSolo, um projeto que visa o desenho de protocolos e a instalação de campos-piloto tem como objetivo melhorar a proteção das culturas. Deste modo, pretende atingir-se uma melhoria na eficiência do uso dos recursos na produção agrícola, contribuindo para a conservação da biodiversidade, do solo e da água.

4

Golegã

Quinta Feliz

Com início em 2019, a Quinta Feliz integra um projeto de agrofloresta da empresa MendesGonçalves. Embora o nome desta empresa possa não ser reconhecido de imediato, as marcas Paladin e Peninsular dispensam apresentações dado que fazem parte da vida e do quotidiano dos portugueses.

 

A primeira agrofloresta da empresa nasceu com base nos conceitos de Agricultura Sintrópica e Regenerativa, e a principal ideia deste sistema é aproveitar ao máximo todos os extratos. A primeira agrofloresta implementada em fevereiro de 2019 tem 7000 m2, foi dividida em 4 zonas produtivas: a figueira com a videira -em que a figueira é o tutor da videira, a zona das ameixeiras e das macieiras, e a zona dos citrinos, abacates e amoreira de árvore. Nesta agrofloresta também existem árvores autóctones, como o sanguinho das sebes que também serve para produção de matéria orgânica e para proteção do sol. Coexistem sempre árvores de serviço e árvores de produção. As produções nesta agrofloresta são os pimentos picantes como hortícola e as fruteiras para consumo na fábrica, para vinagre.


Na exploração também existem oliveiras, algumas centenárias de onde são colhidas as azeitonas, para extração de azeite, para consumo interno. Além disso, já se faz alguma produção de galinhas de quatro raças autóctones portuguesas. Atualmente ainda não existe realmente uma produção, mas muito do que sai das agroflorestas é para consumo na cantina da empresa. Neste momento, estas agroflorestas, baseadas em Agricultura Sintrópica estão certificadas para Modo de Produção Biológico ou em fase de conversão.

5

Évora (ATEVA)

Herdade da Golhelha

Herdade da Golhelha está situada a 6 quilómetros de Reguengos, no sentido Reguengos e Santiago Maior (Alandroal) cujo o ordenamento cultural baseia-se fundamentalmente em 25 hectares de vinha plantada em 1999, olival tradicional e culturas arvenses, espécies que constituem a cultura mediterrânica.

 

Esta herdade ao longo dos anos baseou os seus princípios de produção alinhados com boas práticas culturais conducentes à sustentabilidade.

6

São Pedro do Sul

LafoBio

A LafoBio é uma empresa familiar, certificada em Modo de Produção Biológica pela empresa KIWA Sativa, com sede na localidade do Peso, freguesia de Vila Maior, no concelho de São Pedro do Sul. Desenvolve a sua actividade principal no âmbito da Horticultura e das ervas aromáticas e medicinais.


Tem uma superfície agrícola útil de 6 ha e uma área coberta de 2 ha, o escoamento dos seus produtos é feito a nível nacional e reaproveita os restos das hortícolas e estrumes dos animais para a realização da sua compostagem.

Módulo 2 - Inovação e Empreendedorismo

27 novembro 2021

Oradores

To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

Oradores

Nuno Oliveira - NBI - Natural Business Intelligence

Oportunidades e estratégias da bioeconomia:

Explorar novas fontes de rendimento e valorização de produtos agrícolas

Biólogo, especializado em ecologia (FCUL) e geografia (FCSH), com mais de 20 anos de experiência em biodiversidade e ecossistemas. Foi o primeiro gestor de ecossistemas de que há registo em Portugal, no Grupo Esporão, onde colaborou por mais de uma década, e criou a primeira empresa portuguesa especializada em planos de ação de conservação de biodiversidade. Fascinado pelas interdependências entre ecologia e economia, especializou-se em estratégia e gestão (IST). Ao longo do seu percurso integrou projetos como consultor técnico e científico, em organizações como a Quercus e a WWF, destacando-se ainda a participação no projeto-piloto de avaliação dos serviços de ecossistemas das áreas balneares, com a Associação Bandeira Azul da Europa, e nos planos regionais de ordenamento florestal do Alentejo e Lisboa e Vale do Tejo, entre outros mais associados à agroecologia e valoração dos serviços dos ecossistemas.

 

A par da paixão pela vida natural, descobriu cedo o gosto pela comunicação. Foi locutor numa rádio local e criou um pseudónimo para escrever contos. Participa amiúde em palestras como especialista em temas “biodiversos” e é docente na pós-graduação de gestão da sustentabilidade (ISEG). Defende que a empatia devia ser uma disciplina obrigatória e não esconde o orgulho pelos filhos serem representantes de um movimento pela ação climática.

​Fundada a 9 de março de 2020, a NBI – NATURAL BUSINESS INTELLIGENCE é uma consultora de Negócios & Ecologia especializada na criação de opções para uma Economia de Base Natural, estabelecendo pontes entre o conhecimento e a prática.

​As áreas de especialização da NBI são Biodiversidade, Serviços dos Ecossistemas, Bioeconomia, Capital Natural, Adaptação Climática, Agroecologia e Florestas.

​A equipa da NBI é composta por consultores e investigadores seniores com longa experiência no desenvolvimento de projetos estratégicos e inovadores inspirados pela Natureza, utilizando conhecimentos técnicos e científicos nas áreas da ecologia, economia e gestão.

2

Pedro Gaspar - UBI Universidade da Beira Interior

Interligações entre a cadeia de valor e as oportunidades de contribuir em cada etapa

Pedro Dinis Gaspar é Doutorado em Engenharia Mecânica. É Professor no Departamento de Engenharia Eletromecânica da Universidade da Beira Interior. É investigador integrado do Centro de I&D Centre for Mechanical and Aerospace Science and Technologies, colaborador do Laboratório Colaborativo Food4Sustainability e investigador colaborador do Assisted Living Computing and Telecommunications Laboratory, do Instituto de Telecomunicações. Foi regente/colaborador de mais de 15 Unidades Curriculares de Mestrado ou de Licenciatura. Atualmente é docente (regente/colaborador) nas unidades curriculares como Climatização e Frio Industrial, Robótica Industrial, Automação Industrial, Métodos Quantitativos de Apoio à Decisão. É o Diretor do ciclo de estudos de mestrado em Engenharia e Gestão Industrial (2º ciclo).

Participou/coordenou vários projetos nacionais e internacionais de investigação, bem como contratos de ID&T com a indústria, principalmente relacionados com a indústria agroalimentar. De salientar a coordenação global ou UBI de projetos como o BioD’Agro – Soluções sustentáveis para o setor agroindustrial, PrunusBOT - Sistema robótico aéreo autónomo de pulverização controlada e previsão de produção frutícola, PrunusPOS - Otimização de processos de armazenamento, conservação em frio, embalamento ativo e/ou inteligente, e rastreabilidade da qualidade alimentar no pós-colheita de produtos frutícolas, e Pack2Life – High performance packaging. Supervisionou várias teses de Doutoramento e dissertações de mestrado.

 

Pedro Dinis Gaspar é autor/editor de 8 livros, coautor de 25 capítulos de livros, 58 artigos em revistas internacionais com revisão por pares, e mais 150 artigos em atas de conferências (nacionais e internacionais), para além de ter vinte patentes em processo de submissão ou aprovadas. Tem estado envolvido na organização de vários eventos nacionais e internacionais (como presidente ou membro da comissão organizadora), tais como conferências, congressos e workshops. Os interesses de Investigação envolvem a Termodinâmica e Transferência de Calor (Refrigeração); os Sistemas energéticos: energias renováveis, produção, racionalização e sustentabilidade; a modelação por Dinâmica de fluidos computacional; os Métodos de Apoio à Decisão e a Automação e Robótica.

3

Francisco Vaño Cañadas - Diretor Geral de Castillo de Canena

Um caso de inovação e empreendedorismo numa empresa centenar

O Grupo Castillo de Canena é um grupo líder no sector premium dos Azeites Virgens Extrafinos (AVEF). Desde a sua fundação (1780), a empresa detém vários prémios de qualidade tanto em Espanha como internacionalmente.

​Castillo de Canena faz parte do restrito grupo reconhecido pelas Nações Unidas, United Nations Global Compact, atribuído a empresas e ONGs comprometidas com a construção de um futuro mais sustentável.

 

​Situada na província espanhola de Jaén (Andaluzia), o grupo integra toda a cadeia de valor AVEF, representada por quatro empresas: Cortijo Guadiana, produção agrícola; Cortijo de La Loma, transformação; Suco de azeitona Castillo de Canena, produção, comercialização e distribuição das marcas próprias AVEF Premium; Castillo de Canena, a holding do Grupo que abriu recentemente uma nova linha de negócio - turismo de azeite e gastronomia, alinhado: Natureza, História, Arte, Gastronomia...

Castillo de Canena é um grupo familiar com grandes preocupações ambientais. Cultivam e colhem as próprias azeitonas, tendo o máximo cuidado com nossas árvores e o ecossistema em que crescem. Com uma visão internacional, e seus produtos são vendidos em mais de 50 países. A supervisão directa de todos os elos da cadeia de valor, assegura que os pilares da Investigação & Desenvolvimento e da Sustentabilidade orientam a filosofia de trabalho; esta filosofia é uma das razões para o reconhecimento internacional do mercado e dos consumidores e em particular das Nações Unidas.

4

Clara Martinez - Gestora de Relacionamento Fundo Europeu da Economia Circular

O papel do Capital de Risco no sector Primário

O European Circular and Bioeconomy Fund (ECBF) é o primeiro fundo de capital de risco exclusivamente dedicado na bioeconomia e à circularidade da bioeconomia na Europa.

Com o objectivo de se tornar um dos maiores fundos nesta área, meta de € 250 milhões, dos quais o Banco Europeu de Investimento (BEI) financia € 100 milhões, o ECBF é um dos mais importantes instrumentos financeiros para atingir os objetivos do Green Deal de tornar a Europa neutra em termos de clima até 2050.​

 

Portfólio:​

Prolupin GmbH (GER) empresa de produção de proteínas baseadas em vegetais e alternativas lácteas, como iogurtes, sorvetes e queijos frescos de sementes de tremoço. Depois de estabelecer com sucesso sua marca vegana `Made with LUVE ', as expansões internacionais vem através da marca Prolupin.

Peel Pioneers (NL) refina cascas de laranja em produtos valiosos para aplicações em alimentos, rações animais e cosméticos.

Aphea.bio. (BEL) é líder no desenvolvimento de produtos biológicos de próxima geração com base em microrganismos de ocorrência natural. A empresa desenvolve produtos que ajudam a reduzir a aplicação de fertilizantes e controlando doenças fúngicas no milho e no trigo.

Plataformas
de apoio
ao agro-empreendedorismo

Climate farmers é uma plataforma de apoio aos produtores para escalar a agricultura regenerativa e reverter a mudança climática.

O potencial incomparável da agricultura regenerativa para armazenar carbono no solo e restaurar os ecossistemas, ao mesmo tempo que melhora a subsistência dos agricultores, deve ser levado ao seu pleno potencial. Climate Farmers são um programa completo de formação mentoria e apoio financeiro.

A missão é construir a infraestrutura necessária para escalar a agricultura regenerativa na Europa. 

2

O i-Danha Food Lab Accelerator é um programa de aceleração de novos negócios que apoia durante 6 meses, os empreendedores através de mentoria equivalente a um prémio em espécie até 15.000 €.

 

As principais áreas de apoio são a verificação de protótipos, validação do Modelos de Negócio, diretamente os principais players fornecedores e clientes, em particular agricultores. Durante o programa de mentoria, os projetos selecionados têm acesso a catalisadores de negócios experientes, mentores especialistas, investidores, empresas, apresentações e conexões com o ecossistema de startups da rede do BGI.

3

A Quinta do Arneiro é uma quinta de produção biológica no concelho de Mafra. São 30 ha onde se produzem uma infinidade de hortícolas e deliciosos morangos. Foi opção, desde a primeira hora, vender diretamente ao consumidor final pela importância dada ao contacto direto entre produtor e consumidor.

Toda a produção é escoada em cabazes para entrega ao domicílio na região da Grande Lisboa, em mercados biológicos de rua, em Lisboa e Cascais que se realiza aos sábados e na loja existe na própria Quinta.

Para além dos frescos também transformam os produtos da sua horta. Isto permite prolongar a vida dos frutos e vegetais para além da época de cada um deles ao mesmo tempo que se evita o desperdício.

E é também na Quinta que pode experimentar deliciosos pratos no Restaurante com um conceito literalmente "farm to table". A Quinta do Arneiro vai continuar a trabalhar para um futuro realmente mais sustentável e uma natureza cada vez mais respeitada.

4

Doutorado em Turismo, Lazer e Cultura, Especialização em Turismo e Desenvolvimento, pela Universidade de Coimbra, é Professor Adjunto na Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova (ESGIN) do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) e desenvolve atividades de investigação no Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo (CITUR).

 

Para além de vários cargos institucionais desenvolvidos, é o coordenador da licenciatura em Turismo e do Master em Gestão de Unidades de Turismo em Espaço Rural na ESGIN. Participa/ou em prestações de serviços e projetos de intervenção na área turística, em seminários e congressos nacionais e internacionais e possui diversas publicações científicas na área do turismo.

 

Start-ups

Agrodrone é uma empresa especializada em agricultura de precisão desde 2017; produz mapas espectrais das culturas com base em satélite ou vôo de drone, com foco na fertilidade do solo numa perspetiva que enquadre a fertilidade física, química e biológica; possui tecnologia patenteada para fertilização com microbiologia do solo e produz fertilizantes orgânicos com base em Biochar.

2

AgroGrIN Tech oferece soluções sustentáveis para um mundo saudável, aplicando processos tangíveis, ecológicos e económicos, que promovem a gestão eficiente de resíduos de frutas, evitando assim graves problemas ambientais e económicos.

A AgroGrIN Tech desenvolveu um processo inovador e amigo do ambiente de transformação d os resíduos industriais de frutas em ingredientes alimentares funcionais, valorizando todos os resíduos. Além disso, a empresa possui uma tecnologia patenteada que permite separar ingredientes funcionais naturais, fundamental para a realização do processo AgroGrIN Tech.

3

A PurezaNotória Lda, dedica-se ao desenvolvimento de produtos de valor acrescentado, com origem em produtos e subprodutos industriais. O seu projeto principal - a Proteína Sustentável (marca CORe Protein) - visa criar um extrato de proteína filtrando soro de leite, adicionando sabores naturais a partir de “fruta feia”. Este produto é 100% natural, beneficiando toda a cadeia logística e de produção, promovendo a economia circular e reutilizando subprodutos industriais e criando um artigo de valor acrescentado que permite ao consumidor personalizar o seu intake nutricional.

Como produto secundário, a lactose, que pode ser fermentada em etanol e que pode ser vendida como desinfetante, empresas de bebidas alcoólicas, como biocombustível ou ainda transformada num polímero biodegradável com várias aplicações desde o vestuário até equipamentos médicos sem risco de rejeição.

4

Peel Pioneers nascida na Holanda refina cascas de laranja em produtos valiosos para aplicações em alimentos, rações animais e cosméticos.

A laranja é um ingrediente muito popular, em particular nos países mediterraneos. A Peel Pioneer retira o máximo proveito das cascas recém-prensadas localmente. Nada fica sem uso. A empresa consegue fibras dietéticas, antioxidantes, laranja e óleo de laranja da casca. Estes ingredientes são amplamente utilizados em alimentos, cosméticos e produtos de limpeza. A celulose que sobra após o processo de produção é destinado a agricultores para uso como ração animal.

5

A Nasekomo é o maior fabricante integrado de proteínas de insetos da Europa Central e Oriental. Cultivam moscas soldado-negro (BSF) para converter resíduos orgânicos em ingredientes alimentares sustentáveis de primeira qualidade para as indústrias pecuária e agrícola.

As suas tecnologias de bioconversão utilizam princípios de agricultura vertical com automação para permitir a criação e manipulação industrial optimizada de insetos, e abrange também a sua transformação em óleo de insetos, fertilizantes de solo e farinha proteica.

Atualmente, a Nasekomo está a mudar para uma instalação de demonstração industrial melhorada, localizada perto de Sofia, na qual, ao pilotar as suas tecnologias, permitirá a expansão das capacidades de produção de proteínas para 630 toneladas/ano até ao final do ano, e ~2.400 toneladas/ano de produtos de insetos até ao final de 2022.

 

A Nasekomo desenvolve ainda um conjunto de tecnologias juntamente com um modelo de negócio de franquia para permitir a entrada de várias outras indústrias no espaço da reciclagem sustentável de resíduos orgânicos através da bioconversão de insetos. Utilizam subprodutos das agro-indústrias como fonte de produção de farinha de peixe sustentável. Oferecem a reciclagem de 100% dos volumes de subprodutos, substituindo alternativas de eliminação de valor zero, tais como a deposição em aterro.

6

Plant on Demand é uma plataforma de e-commerce, ERP, CRM e gestão logística para produtores locais e centros de alimentos. Permite a criação de uma loja online totalmente adaptada às necessidades agroalimentares que está ligada a uma plataforma de back-office para gestão de vendas, inventários, documentos de vendas, otimização de rotas, pagamentos e muito mais. Pode ser utilizado por produtores individuais que desejam vender online e digitalizar seus processos ou por grupos que decidem cooperar e trabalhar juntos, oferecendo uma plataforma de venda conjunta de seus produtos e automatizando a gestão.

A visão do Plant on Demand é acelerar a transição para um sistema de produção e consumo mais sustentável, local e respeitoso, baseado na cooperação e tecnologia.

 
 

Sessão de Ideação

Mais difícil que tirar a ideia do papel é colocar a ideia no papel. A metodologia TXM Business (Think, eXperience, Manage) apoia inovadores de forma não linear no processo de ideação. Este é o ponto de partida com base em novas ferramentas através da gamificação das ideias.

A empresa TXM Methods é uma empresa de desenvolvimento de metodologias para inovação aberta focada no uso de métodos, técnicas e ferramentas projetuais para desenvolvimento de produtos inovadores nas mais diversas áreas. A TXM Methods existe há 2 anos e conta com 53 colaboradores e 39 laboratórios em diversos estados brasileiros. Já passaram pela metodologia TXM (Think, eXperience e Manage) mais de 1500 projetos e mais 5000 inovadores.

 

"Encontramos as melhores técnicas, ferramentas e métodos de projeto para desenvolver metodologias de inovação aberta desde a ideação até a gestão estratégica."